reklama

Lékařky se kvůli článku o "nevhodném chování" svlékly do bikin. Jejich hnutí sílí

View this post on Instagram

Duas fotos, dois momentos diferentes e uma MESMA pessoa! Em dezembro de 2019, foi publicado o artigo "Prevalence of unprofessional social media content among young vascular surgeons" pelo Journal of Vascular Surgery, artigo dirigido por 6 homens e 1 mulher cujo objetivo foi a analise de redes sociais de 480 médicos e médicas da cirurgia vascular com objetivo de identificar comportamentos não profissionais e potencialmente "mal-vistos" por pacientes e chefes. Foram divididos em conteúdos claramente não profissionais e potencialmente não profissionais: "Conteúdo potencialmente não profissional inclui: segurar/consumir bebida alcoólica, vestuário inapropriado, palavrões, comentários controversos sobre política e religião e temas sociais controversos." Como forma de protesto contra o conteúdo conservador antigo, profissionais passaram a usar a hashtag #medbikini com fotos próprias em uso de biquínis (considerados impróprios para o perfil médico, assim como fantasias de halloween e as poses em que as mulheres apareciam nas fotos de biquíni, segundo o artigo). Estamos aqui para dizer que: sim, medicas usam biquínis. Sim, mulheres são cirurgiãs e ortopedistas. Não, minha religião não é ofensiva. Não, biquínis não são ofensivos, nosso corpo não é ofensivo. Não, não está tudo bem fazer piadas machistas. Não estamos mais na década de 60, e impróprio é esse tipo de pensamento ainda existir. Texto da @memecinainterna adaptado pela @marceladamm

A post shared by Marina Andrade (@marinaxandrade) on

Další zajímavé články

reklama
reklama
reklama